Áreas de risco: Tripoli cobra do Executivo a aplicação dos recursos orçamentários PDF Imprimir E-mail
Qui, 28 de Maio de 2009 21:39
Decorridos 5 meses da execução orçamentária, as 31 subprefeituras utilizaram tão somente 0,59 % dos R$ 28,9 milhões disponíveis para obras e serviços nas áreas de riscos geológicos na cidade, ou seja, menos de R$ 200,0 mil. Na reunião do dia 27 de maio, a Comissão de Finanças e Orçamento aprovou requerimento do vereador Roberto Tripoli (PV), solicitando esclarecimentos do secretário municipal de Coordenação das Subprefeituras, Andréa Matarazzo, das razões pelas quais esses recursos não estão sendo aplicados. Essas áreas de risco estão mapeadas desde 2004 e em muitas delas, encontram-se moradias de baixa renda, cujos moradores invadiram locais onde há perigo iminente de desabamento e de deslizamento de encostas, podendo até mesmo ocasionar mortes. “Nós, da Comissão de Finanças, votamos o Orçamento da cidade de São Paulo para 2009, destinando recursos para serem aplicados em obras nesses locais e nada está sendo executado”, disse o vereador. E mais : “Isso é ridículo, é falta de planejamento. Existe recurso, está em caixa, o que nós queremos é seriedade e empenho, pois já existem projetos prontos para serem executados. O governo está esperando que chova mais e aconteça um desastre ? Quando é que vamos parar de ver cenas de pessoas humildes obrigadas a deixarem suas moradias para serem amontoadas em alojamentos nas mais precárias condições ?”


Foto: RenattodSousa
 
Outro importante requerimento de autoria de Tripoli, aprovado pela Comissão, foi o questionamento que o vereador fez ao secretário de Finanças, solicitando esclarecimentos sobre a retirada do sistema de acompanhamento da execução orçamentária (Novo SEO) de um relatório denominado “Boletim Diário da Receita”, que permite visualizar a evolução da receita diariamente. “Nós acompanhamos rigorosamente o desenvolvimento da arrecadação e a execução das despesas da Prefeitura, mas o Novo SEO está fora do ar desde 22 de maio no que tange à receita, impedindo que os vereadores possam cumprir sua função precípua de fiscalizar os atos do Executivo. É isso que o governo chama de  visibilidade e transparência ?”, arrematou o vereador. Nesse requerimento, Tripoli solicita ao secretário de Finanças, a imediata recolocação no sistema, desse boletim que foi sumariamente suprimido.



Informações:
Mário Seabra
Assessor Técnico do
Gabinete do Vereador Roberto Tripoli (PV)
11-3396-4821

 
Envie cartões virtuais e expresse seu amor pelos animais

...........................................

...........................................

Memórias na Proteção

...........................................

Nós temos 13 visitantes online